Mais Esportes

Natação

A façanha de Ítalo Manzine

Se a grande atração na piscina do Minas era a presença do festejado campeão olímpico Cesar Cielo no primeiro dia do José Finkel, drama de nadador mineiro comove a todos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 30/08/2011 09:21 / atualizado em 30/08/2011 09:27

Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Todos os holofotes do primeiro dia de prova do Troféu José Finkel, nas piscinas do Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte, estavam em Cesar Cielo, que nadava pela primeira vez no Brasil desde as duas medalhas de ouro no Mundial de Esportes Aquáticos, em Xangai (China), e a absolvição no Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) pelo uso do diurético furosemida. Recordista mundial e atual campeão olímpico dos 50m, o paulista chegou à capital mineira no domingo, cumpriu o ritual de concentração e pulou na água por volta das 17h30 dessa segunda-feira, acompanhado atentamente pelos concorrentes e pelos jovens nadadores que tiveram a chance de ver de perto o ídolo. Os olhos do público e das comissões técnicas estavam fixados na raia quatro da quarta série, de onde largaria Cielo, e poucos perceberam que, na bateria anterior, a parte superior do bloco de largada do nadador mineiro Ítalo Manzine se soltou, tirando o jovem de 19 anos, do Mackenzie, da final.

Por volta das 19h, convocado pela direção técnica, Ítalo voltou sozinho à piscina. Respirou fundo, mirou o fim da reta de 50m e fez o melhor tempo de sua carreira e o terceiro mais rápido da eliminatória (22s97), apenas cinco décimos acima de Cielo (22s92) e à frente do atual campeão brasileiro da prova, Bruno Fratus (23s). O melhor tempo foi de Nicholas Santos, companheiro de Cielo no Flamengo, que nadou em 22s62.

“Na primeira largada, senti que meu pé escorregou e meu rendimento foi prejudicado. Quando voltei, senti que poderia nadar tudo aquilo que treinei nos últimos seis meses, com o Théo e a Baiana (treinadores)”, contou Ítalo, que comemorou aos prantos abraçado ao pai, Willian Duarte, que viajou 360 quilômetros, vindo de Paraguaçu, no Sul de Minas, para acompanhar o filho. “Viemos no carro sonhando com isso. Ainda vão ouvir muito sobre esse garoto”, contou o orgulhoso William.

Nesta terça, os atletas da prova mais veloz da natação voltam à piscina do Minas, por volta das 10h30, para as semifinais. A final é amanhã. A entrada é franca.

Apoio

Com o apoio da torcida, os minas-tenistas fizeram bons tempos. Nos 200m costas, Fernanda Alvarenga, recordista sul-americana da prova, nadou em 2min20s15, melhor tempo da eliminatória. Nos 200m peito, três anfitriãs ficaram entre as oito finalistas: Renata Paula Sandre (2min37s96), Juliana Marangoni (2min38s35)e Thamy Ventorin (2mi38s55). Ainda entre as mulheres, nos 50m, Luciana Marchioro nadou em 26s51, cravando o melhor tempo.

Entre os homens, nos 200m costas, o flamenguista Fábio Arikawa foi o mais rápido (2min1s79), superando o campeão Thiago Pereira, que ficou em terceiro na eliminatória (2min3s83). Leonardo Fim (2min4s17) e Lucas Salatta (2min5s62)também se garantiram nas semifinais. Nos 200m peito, Henrique Barbosa – também absolvido pelo TAS – foi o melhor, com 2min15s72, 20 centésimos à frente do também rubro-negro Thiago Parravicini.