Copa do Mundo

SELEÇÃO BRASILEIRA

Integrantes da comissão técnica do Brasil têm ligações com maiores clubes de Minas

Seleção Brasileira tem 'DNA mineiro' na disputa do Mundial na Rússia

postado em 13/06/2018 09:24 / atualizado em 13/06/2018 16:11

Lucas Figueiredo/CBF

Enviado especial

Sochi – Cinco dos homens de confiança do técnico Tite no comando da Seleção Brasileira na Rússia tiveram passagem e viveram momentos importantes da carreira no futebol mineiro – entre eles o próprio treinador, que comandou o Atlético por 21 rodadas em 2005. Dos cinco, quatro passaram pelo alvinegro e um pelo Cruzeiro: o auxiliar Sylvinho, que recebeu a primeira oportunidade fora dos gramados na Toca da Raposa, em 2011.

“Tenho muita gratidão pelo Vágner Mancini, que abriu as portas para mim no Cruzeiro. Aprendi muito durante meu tempo na Toca da Raposa trabalhando com ele”, disse Sylvinho ao Estado de Minas, enquanto conhecia o hotel da Seleção Brasileira, segunda-feira.

Ex-jogador de Corinthians, Barcelona e Arsenal, Sylvinho se aposentou dos gramados em maio de 2010 e foi anunciado como membro da comissão técnica do time celeste em setembro de 2011. Ele ficou no clube até 2012. Antes de chegar à Seleção, o ex-lateral trabalhou no Corinthians e na Internazionale de Milão, clube do qual ainda faz parte paralelamente com a Seleção.

Os outros quatro membros da comissão têm ligação com o Atlético. Em seu período no Galo, em 2005, Tite já tinha como braço direito o auxiliar Cléber Xavier. A passagem dos dois pelo alvinegro, entretanto, não é de boas lembranças. Ele chegou em abril de 2005, mas o time não engrenou. Em 21 partidas, venceu apenas quatro e acabou entregando o cargo em temporada em que o Atlético acabou rebaixado no Brasileiro.

Goleiro do Brasil em três Copas (1990, 1994 e 1998), Taffarel é o responsável pela preparação de Alisson, Ederson e Cássio. O campeão mundial em 1994 chegou ao Atlético no ano seguinte ao título mundial e permaneceu no gol alvinegro até 1998, quando foi convocado para sua última Copa, na França, como jogador do Galo.

Outro profissional alvinegro na Seleção Brasileira é o médico Rodrigo Lasmar, filho de Neylor Lasmar, médico da Seleção nas Copas de 1982 e 1986, quando operou o astro Zico às vésperas do Mundial do México. Rodrigo, de 45 anos, estreou na Seleção em 2001, como membro da equipe de José Luiz Runco, e esteve nas Copas de 2002, 2006 e 2014.

COMISSÃO COM DNA MINEIRO

Atlético

 

Tite
2005
(treinador)


Cléber Xavier
2005
(auxiliar técnico)


Rodrigo Lasmar
Desde1999
(médico)


Taffarel
1995-1998
(goleiro)

Cruzeiro

Sylvinho
2011
(auxiliar técnico)

Tags: selefut interiormg futnacional