Sport

SPORT

Eduardo Baptista vê Sport adquirindo novo jeito de jogar e faz elogios a Marcão e Jair

Técnico diz que atletas estão ganhando 'raça' que caracteriza clube

postado em 10/09/2018 08:30 / atualizado em 10/09/2018 08:46

Williams Aguiar/Sport Club do Recife
A situação que Eduardo Baptista encontrou ao chegar no Sport era e ainda continua crítica. Um clube com dificuldades de pagar salários, sem possibilidade de grandes investimentos no mercado e com um elenco desajustado e sem confiança dentro de campo. Aos poucos, porém, o técnico rubro-negro consegue enxergar uma melhora mesmo com o time ainda na zona de rebaixamento. Após o empate em 0 a 0 com o Cruzeiro, no último sábado, ele, enfim, vê o começo de uma identidade tomar forma com os atletas mais dispostos a se entregar em campo. 

“Eu trabalhei no Sport e conquistei títulos importantes, três Pernambucanos, uma Copa do Nordeste já como treinador, uma Copa do Brasil que, depois do título (brasileiro) de 87, foi a maior conquista do clube. Todos esses times eram de muita briga, muita entrega e muita união. Talvez, não tivéssemos jogadores extremamente qualificados, mas tinham raça. Nossos jogadores mostraram isso dentro de campo. Essa foi a ideia que eles tentaram vender”, avaliou Eduardo Baptista. 
 
Dentro desse jeito mais aplicado de jogar que o time perdeu desde a pausa na Série A para a Copa do Mundo, surgiu uma nova peça. O volante Marcão, que estreou pelo clube na última rodada já como titular, deu maior pegada ao meio-campo do Sport, segundo o treinador. Junto a ele, o também volante Jair entrou no decorrer da partida no posto de Neto e também recebeu elogios. A dupla estreante pode ganhar continuidade.

“Eu tinha uma expectativa boa sobre Jair, sobre Marcão, mas eles precisavam jogar. Eu fico feliz por criar opções. Neto veio de um jogo muito forte em Salvador e sentiu um pouco contra o Cruzeiro até fisicamente. Mas ele participou do passe, tentou jogar. O Cruzeiro bloqueou melhor nosso time, e Jair acabou dando uma cara. Minha missão não é criar a dupla, criar os 11, eu quero criar opções. Que bom que Neto me mostrou segurança, Jair também, Marcão também deu segurança. E eu tenho uma dúvida boa para escolher a melhor”, declarou.



Após seis jogos, o Leão tem a segunda semana livre para treinamentos sob o comando de Eduardo Baptista. Com ela, o treinador pretende fazer novos ajustes para fazer com o que time consiga melhorar o atual aproveitamento a partir confronto diante do Corinthians, no próximo domingo. Segundo o histórico da Série A, 46 pontos livram a chance de rebaixamento. Com isso, o Sport precisa de mais 22 em 14 jogos. Portanto, mais sete vitórias e um empate. 

“Temos mais uma semana para trabalhar, tentaremos ajustar novamente a equipe. Tiveram jogadores que entraram e deram as respostas. Vamos ganhando uma maneira nova de jogar. De novo (contra o Cruzeiro), apresentamos uma defesa muito sólida porque não levamos gols. São situações pontuais no final do jogo vão ser corrigidas.”