Náutico

NÁUTICO

Apesar de maior receita em 2020, Edno Melo crê em desafio igual ao da atual temporada

Timbu começará o próximo ano com uma folha de R$500 mil, a maior dos dois últimos anos

postado em 02/11/2019 11:00 / atualizado em 01/11/2019 21:30

<i>(Foto: Bruna Costa/Esp.DP )</i>
Com a conquista tão sonhada ao acesso à Série B, o Náutico vai iniciar a temporada 2020 com uma folha de R$ 500 mil, a maior dos últimos dois anos. Um cenário completamente diferente do que viveu no início de 2018, logo após o rebaixamento à Série C, quando o valor era de modestos R$ 180 mil.
 
À frente do Timbu nas últimas duas temporadas, o presidente Edno Melo, candidato à reeleição para o biênio de 2020-2021, pontuou que, apesar da diferença no orçamento para o ano que vem, a dificuldade é a mesma em comandar o clube, seja com pouco ou muito. 

“Acho que a dificuldade é igual. Quando você traça um planejamento no início, a dificuldade vai ser exatamente igual com mais ou menos dinheiro. A única diferença é que em 2018 nós começamos com uma folha de R$ 200 mil e em 2020 começaremos com uma folha de R$ 500 mil”, frisou. 

Além disso, o presidente do Náutico afirmou que a folha de R$ 500 mil poderia ser ainda maior em 2020, caso o Timbu tivesse um apoio ‘mais próximo’ dos sócios e de um patrocinador ‘mais forte’. No entanto, Edno reforçou, mais uma vez, o discurso de austeridade e resumiu: ‘hoje a realidade do Náutico é essa’. 

"A gente poderia começar com uma folha maior se tivéssemos o associado mais próximo do Náutico, se tivéssemos o patrocinador mais forte. Mas hoje a realidade do Náutico é essa. Não é porque a gente subiu para a Série B que a gente precisa fazer um time de R$ 1 milhão, de R$ 2 milhões, de R$ 3 milhões não. Se a gente puder fazer um time de R$ 1 milhão, a gente vai fazer. Mas se não, a gente vai fazer um time de R$ 500 mil de início ao fim do campeonato", finalizou.