COPA DO REI

Em despedida de técnico, Messi comanda e Barcelona conquista a Copa do Rei

Equipe catalã bateu Alavés e conquistou sua 29ª taça da competição na história

postado em 27/05/2017 18:43 / atualizado em 28/05/2017 09:54

Josep Lago/AFP
O técnico Luis Enrique contou com um trunfo mais do que conhecido para se despedir do Barcelona com um título. Na sua última partida como técnico da equipe, ele viu Messi salvar um time confuso no primeiro tempo e, com um gol e duas lindas jogadas, abrir uma confortável vantagem ainda no primeiro tempo. No final, com o trabalho facilitado pelo argentino, os catalães venceram o Alavés por 3 a 1, na tarde deste sábado, no estádio Vicente Calderón, e conquistaram sua 29ª Copa do Rei.


Para Luis Enrique o sentimento é de "alegria total" ao sair do Barça com vitória:



O técnico de 47 anos encerra sua passagem no comando do clube com nove títulos profissionais. Foi o terceiro da Copa do Rei – venceu em 2014/14 e 2015/16 – e também o segundo título do Barça na temporada, já que a equipe conquistou a Supercopa da Espanha, mas caiu nas semifinais da Liga dos Campeões e perdeu o Campeonato Espanhol para o arquirrival Real Madrid.

Os jogadores agora ganham férias para atuar por suas seleções e descansar antes do início da próxima temporada. Neymar, autor de um dos gols, fica com a turma do descanso, já que foi dispensado por Tite dos amistosos contra Argentina e Austrália. Até lá, o Barça já deve ter anunciado seu novo comandante e o brasileiro Deyverson, maior destaque do Alavés, pode estar em equipes de maior porte no futebol europeu. Local da partida, o Calderón também se despede: será demolido e o Atlético de Madrid passará a jogar no Wanda Metropolitano.

Messi salva desorganização do Barça

O duelo das duas equipes quase obviamente mostrou um Barça ofensivo, apostando na posse de bola, e um Alavés retraído, colocando suas fichas no contra-ataque. Faltou aos catalães, porém, demonstrar uma maior capacidade para furar o bloqueio adversário, bastante confusos na formação utilizada por Luis Enrique. Para piorar, Mascherano, escalado como lateral direito, teve de sair com dez minutos após choque de cabeça e deu lugar a André Gomes embaralhando toda a equipe.

Aproveitando-se disso, o Alavés quase abriu o placar em um desentendimento do sistema defensivo dos catalães. Ibai Gómez acreditou em lançamento da defesa, ganhou de Piqué e ficou cara a cara com Cillessen. O experiente meia bateu cruzado, a bola passou por baixo do holandês e foi devagar na trave do Barça. No rebote, Deyverson poderia ter devolvido para o companheiro, livre na área, mas tentou finalizar e mandou para fora.

Foi o bastante para que Messi mostrasse toda a sua capacidade de decidir sozinho. Após dominar bola na entrada da área, o argentino tabelou com Neymar e, da meia-lua, bateu colocado, sem chances de defesa para Pacheco, marcando o 1 a 0 no placar aos 30 minutos do primeiro tempo. Tento que fez, pela primeira vez, a torcida do Barça cantar mais alto que a do rival.

Vivo na partida, porém, o Alavés aproveitou falta na entrada da área e contou com muita precisão do lateral esquerdo Theo Hernandéz. O francês, pretendido pelo Real Madrid, bateu no canto de Cillessen, bem no ângulo, contou com um passo à frente do holandês e deixou tudo igual, três minutos depois do tento inaugural de Messi, para loucura da galera do Alavés.

Para azar do Alavés, porém, parece que Messi ficou ainda mais inspirado com a igualdade. Aos 44, quando parecia que o empate iria para o intervalo, ele deixou André Gomes livre dentro da área. O português bateu cruzado e Neymar, em posição duvidosa, completou para as redes, recolocando o time à frente. Mas não era o bastante para Messi. O camisa 10 voltou a desequilibrar, limpou três adversários pela direita e deixou Alcácer em condição de, aos 47, deixar o Barça com um 3 a 1 de vantagem no intervalo.

Mais tranquilo e com muito mais espaço, o Barça poderia ter ampliado ainda mais sua vantagem na etapa final. E isso quase aconteceu logo aos cinco minutos, mais uma vez pelos pés de Messi. O argentino recebeu na esquerda e cruzou na medida para Alcácer, que se esticou para finalizar. Pacheco, porém, saltou e conseguiu fazer a defesa em cima da linha.

A partir dali, sobrou aos comandados de Luis Enrique paciência para fazer o tempo passar, enquanto Deyverson e companhia tentavam de tudo para o menos diminuir o placar. O brasileiro chegou até a balançar a rede, mas estava impedido e não conseguiu fazer a alegria da galera basca, outro destaque no Vicente Calderón.

BARCELONA 3 X 1 ALAVÉS

Barcelona

Cillessen; Mascherano (André Gomes), Piqué, Umtiti e Alba; Busquets, Rakitic (Aleix Vidal) e Iniesta; Messi, Neymar e Paco Alcácer
Técnico: Luis Enrique

Alavés
Fernando Pacheco; Kiko, Vigaray, Feddal, Rodrigo Ely e Theo Hernandéz (Óscar Romero); Llorente, Manu García, Edgar Mendéz (Sobrino) e Ibai Gómez (Camarasa); Deyverson
Técnico: Mauricio Pellegrino

Gols: Messi, aos 30, Neymar, aos 44, e Paco Alcácer, aos 47 minutos do primeiro tempo (Barcelona); Theo Hernandéz, aos 33 minutos do primeiro tempo (Alavés)
Cartões amarelos: Umtiti, Iniesta e Messi (Barcelona); Edgar, Manu, Rodrigo Ely, Sobrino e Deyverson (Alavés)

Local: Estádio Vicente Calderón, em Madrid (ESP)
Data: 27 de maio de 2017, sábado
Horário: 16h30 (de Brasília)
Árbitro: Carlos Gomez Clos (ESP)
Assistentes: Diego Sevilla Barbero (ESP) e Teodoro Magán Sobrino (ESP)

Tags: copa do rei alavés barcelona futinternacional