Futebol Nacional

SPORT

Proibição de cuspe, comemoração de gol e jogos na Arena: o protocolo para volta do Estadual

Aguardando aval do governo sobre datas, FPF emitiu documento com séries de restrições para o retorno das partidas; definição sai nesta terça-feira

postado em 28/06/2020 10:30 / atualizado em 28/06/2020 01:31

(Foto: Rafael Ribeiro/ CBF)
A Federação Pernambucana de Futebol (FPF), divulgou, na noite da última sexta-feira, um protocolo onde garante o retorno seguro do Campeonato Estadual a partir do dia 5 de julho em meio à pandemia do coronavírus. O documento foi enviado para o governo do estado e o presidente da entidade, Evandro Carvalho, aguarda uma resposta até quarta-feira. A tendência, no entanto, é que haja um sinal da Secretaria de Saúde do Estado (SES-PE) nesta terça-feira, conforme anunciou o órgão.

Independentemente da data, sabe-se que as diretrizes preventivas à Covid-19 que constam no protocolo irão perdurar visando a finalização do campeonato pernambucano, que restam cinco jogos (a última rodada da primeira fase e o mata-mata).

E dentre as medidas do documento elaborado pela federação, alguns itens chamam atenção, dentre eles a comemoração de gol sem contato, impedimento para beijar a bola e cuspir no chão, além dos jogos serem realizados na Arena de Pernambuco a partir das quartas de final. Confira abaixo os principais tópicos simulando ordem de acontecimentos em um dia de jogo.

Prévia da partida
No dia da partida, atletas, comissões técnicas das equipes, árbitros, assistentes, delegados, gandulas e staff deverão responder a um relatório epidemiológico com ênfase na condição olfativa e serão submetidos a aferição de temperatura. Caso o resultado seja acima de 37,5º a pessoa será impedida de acessar ao estádio e será  encaminhado para avaliação médica. Além disso, o uso de máscara e/ ou proteção facial é obrigatório para todos, exceto os jogadores e árbitros quando estiverem em ação, sendo opcional para o técnico no decorrer da partida.

Delegações e pessoas envolvidas 
A recomendação é que as delegações cheguem faltando entre 60 e 80 minutos para a partida começar e tenham entre 30 e 35 componentes. Além disso, FPF diz que terá nove profissionais destacados para o jogo: quarteto de arbitragem, delegado da partida, dois membros do protocolo e dois membros de staff para organização. Quanto aos ‘gandulas/ maqueiros’, a entidade afirma que serão quatro. Quanto aos agentes de segurança, a federação não especifica, mas diz que “deve ser o mínimo adequado para a manutenção da ordem e da incolumidade física dos profissionais envolvidos na partida de futebol”.

Entrada em campo
Primeiro entram o trio de arbitragem, depois a equipe mandante e por fim a equipe visitante, respeitando o distanciamento de 1,5 metro. O mesmo espaço mínimo vigora para o momento do hino. Também não haverá contato na hora de os atletas cumprimentarem-se, nem pose dos jogadores para fotos.

Banco de reservas
Serão permitidos no máximo cinco componentes de comissão técnica (treinador, auxiliar, preparador físico, médico e massagista), além de doze suplentes. No banco, deverão respeitar a distância de 1,5 metro e todos eles devem utilizar Equipamento de Proteção Individual (EPI), sendo opcional apenas para o treinador. Além disso, a entidade vai disponibilizar tótens de álcool gel para cada time, conforme dito no comunicado. 

Início, situações de jogo e substituições
As bolas serão higienizadas com álcool (70%) no início, reinício e a cada reposição durante o jogo, pelos gandulas. Além disso, os atletas estão proibidos de beijar a bola ou cuspir no gramado. Jogadores também não podem aproximar-se do árbitro e comemorar gol com contatos entre si.

Haverá também um aumento nas substituições, seguindo liberação da International Board. O protocolo da FPF, contudo, não é tão claro quanto a este ponto. “Cada equipe terá no máximo 03 (três) substituições durante a partida, as substituições no intervalo não contam. Porém caso as equipes façam as substituições simultâneas será computado uma substituição para cada equipe”, diz o comunicado.

Fim do jogo
Os jogadores não podem trocar de camisa ou qualquer outro acessório do uniforme. Além disso, há uma mudança na ordem para deixar o campo: primeiro sai o time visitante, em seguida a equipe mandante e por fim o trio de arbitragem, respeitando o distanciamento de 1,5 metro.

Arena de Pernambuco a partir das quartas de final
O protocolo também faz restrições aos estádios, mais especificamente a partir do mata-mata do Estadual, onde não serão aceitos os que possam haver: aglomerações e comércio ambulante no entorno; utilização da sede social com bares; manifestação de torcedores; e aglomerações em construções e/ ou prédios vizinhos com vista privilegiada do local da partida. Assim, fica impossibilitado a realização desses jogos nos Aflitos, Ilha do Retiro ou Arruda.