Náutico

NÁUTICO

Zagueiro Sueliton volta a marcar gols após quase três anos e espera por fim à má fase

Jogador fez o gol da vitória por 1 a 0 sobre o América que garantiu a liderança provisória do Campeonato Pernambucano ao Náutico

postado em 11/03/2019 12:00 / atualizado em 11/03/2019 11:59

<i>(Foto: Léo Lemos/Náutico)</i>
O gol marcado pelo zagueiro Sueliton contra o América, além de garantir a vitória por 1 a 0 e a liderança do Campeonato Pernambucano também pôs fim a um longo jejum pessoal do defensor. Isso porque o jogador não marcava um gol desde maio de 2016, quando balançou as redes pelo América-MG, contra o Bahia, pelo Campeonato Brasileiro, também em uma vitória por 1 a 0. Na comemoração do primeiro tento anotado pelo Timbu, o tradicional gesto para espantar a má fase.

"Esse gol não acontecia faz tempo e dessa vez eu fui feliz no lance. Brigamos até o final e o resultado foi mais do que justo para nós. Até pelas condições adversas do campo. Mas o mais importante é que conseguimos a vitória e a liderança e agora é esperar o complemento da rodada", destacou o zagueiro.

A penúltima rodada da primeira fase do Estadual será complementada no meio da semana. E dois jogos interessam diretamente o Náutico. No caso, os confrontos entre Sport e Salgueiro, na quarta, e entre Santa Cruz e Central, na quinta-feira. Os alvirrubros torcem por tropeços dos rubro-negros e dos centralinos para se manterem na liderança. 

Com a liderança na primeira fase, o Timbu terá o benefício de jogar nos Aflitos os jogos únicos das quartas e semifinal, além do jogo de volta em uma possóvel decisão.

Outro ponto destacado por Sueliton é a melhora do sistema defensivo do Náutico. Com o time invicto há 11 jogos, a média de gols sofridos também vem sendo reduzida. Nas últimas cinco partidas, foram três tentos sofridos. 

"Estamos mantendo uma sequência boas de resultados e vindo de vitórias seguidas (quatro) e estamos diminuindo o número de gols tomados. Esperamos manter sempre assim", pontuou. "Terminando na liderança vamos manter a vantagem nas fases decisivas. Claro que ainda não podemos contar com isso, mas demos um passo importante".