Santa Cruz

Ademir Cunha

Santa Cruz faz o suficiente e vence o América por 1 a 0 em Paulista

postado em 12/02/2012 17:55 / atualizado em 12/02/2012 19:50

Alexandre Barbosa /Diario de Pernambuco

Ricardo Fernandes/DP/D.A Press.
Não foi uma partida perfeita. Um gol solitário deu a vitória ao Santa Cruz sobre o América, num jogo sonolento na tarde deste domingo, no estádio Ademir Cunha, em Paulista. O tento marcado por Dutra, aos 11 minutos do segundo tempo, salvou o Tricolor, que teve imensas dificuldades no setor de criação. Foram pouquíssimas chances de gol criadas.

O magro resultado de 1 a 0, porém, garante ao Tricolor certa tranquilidade para chegar ao clássico com o Sport, na próxima quinta. As equipes têm a mesma pontuação, 17, distintas apenas pelo número de gols marcados, no qual os rubro-negros levam a vantagem e ficam com a terceira posição (16 a 14).

O primeiro tempo já dava mostrar do que seria o restante do jogo: sem grandes emoções. O técnico Zé Teodoro armou o Santa Cruz num 3-5-2, com Memo atuando como zagueiro pelo lado esquerdo, com a missão de chegar com a bola de trás. Em alguns momentos, até funcionou, mas o Santa Cruz utilizava pouco a faixa esquerda do campo, concentrando suas jogadas ou no meio ou na lateral-direita. Léo não conseguiu ajudar Luciano Henrique na armação das jogadas, o que fez o Tricolor um time pouco criativa na etapa inicial.

Foram poucas as oportunidades criadas pelos dois times. O América até tentava chegar tocando a bola, mas errava muitos passes. As tentativas de infiltração do meia Juliano Rocha foram os únicos bons momentos do Mequinha na partida. A melhor chance do primeiro tempo foi do Santa Cruz. E ela esteve nos pés de Dênis Marques, que pouco fez na etapa inicial. Aos 24 minutos, após cobrança de falta de Memo, o goleiro Danilo deu rebote. Sozinho, com o gol aberto, o atacante chutou para fora.

Zé Teodoro não mexeu na equipe no intervalo, mas a conversa parece ter sido suficiente. O time voltou mais aceso, pressionando um pouco mais o América, que se encolheu, saindo menos do que na primeira etapa. A ousadia maior valeu ao Santa Cruz um gol pouco depois dos dez minutos. Aos 11, o goleiro Danilo afastou mal a bola da área, Dutra pegou o rebote e chutou forte para o gol, abrindo o placar.

A principal diferença do Santa Cruz com relação ao primeiro tempo foi a utilização do lado esquerdo. Motivado pelo gol, Dutra passou a chamar mais as jogadas e também foi mais acionado. Embora tenha encontrado uma boa alternativa de ir ao ataque, não foi suficiente para que o time construísse mais jogadas. Zé Teodoro viu isso e tentou consertar colocando Renatinho na vaga de Léo. O garoto entrou bem, mas Luciano Henrique parece ter cansado, permanecendo, então, a deficiência na criação.

No final, pravaleceu a melhor qualidade técnico do Santa Cruz. A defesa voltou a fazer uma boa partida, sem falhas, diante, porém, de um adversário que pouco ofereceu perigo ofensivo. Numa partida de poucas chances, ficou clara a dificuldade coral na criação das jogadas, por isso é de se valorizar a importância do solitário gol de Dutra que deu ao Tricolor a vitória, às vésperas do clássico com o Sport.

América

Danilo; Maneco, Negretti, Deivid e Cléber Gaúcho; Adriano, Algodão, Dunga (Jaílton) e Juliano Rocha; Rosivaldo (Richard Falcão) e França. Técnico: Charles Muniz

Santa Cruz

Tiago Cardoso; Eduardo Arroz (Diogo), Leandro Souza, André Oliveira e Dutra; Anderson Pedra, Memo, Léo (Renatinho) e Luciano Henrique; Dênis Marques e Flávio Caça-Rato (Branquinho). Técnico: Zé Teodoro

Local: Ademir Cunha (Paulista). Árbitro: Ricardo Jorge. Assistentes: Alberto José e Clóvis Amaral. Gol: Dutra. Cartões amarelos: Flávio Caça-Rato, Dutra (SC), Cléber Gaúcho, Negretti e Rosivaldo (A). Público: 8.849. Renda: R$ 53.280.